20 de maio

GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
23/02/23 às 7h34 - Atualizado em 23/02/23 às 7h46

Todas às quintas-feiras o Administrador Regional vai até ao seu condomínio

COMPARTILHAR

Todas às quintas-feiras a agenda do Administrador Regional, Aderivaldo Cardoso, está fechada, exclusivamente, para o atendimento de 8h às 10h da manhã, aos síndicos da Região Administrativa do Jardim Botânico, dentro do projeto "o administrador vai ao seu condomínio".

As reuniões, inicialmente, visam apresentar o novo administrador e o plano de trabalho de sua gestão. A primeira delas ocorreu no condomínio Ouro Vermelho I, com a presença de vários síndicos dos bairros da região da Estrada do Sol, a segunda ocorreu no Bairro Tororó e a terceira, até o momento, no Bairro Jardins Mangueiral, todas em parceria com as  diversas associações, lideranças da cidade e do Movimento Comunitário do Jardim Botânico (MCJB). 

Observa-se que existem vários grupos organizados na região. As demandas são diversas e grande parte delas não são de competência da Administração Regional, mas de outros órgãos do DF. Neste sentido, o papel do Administrador é fazer a integração e interlocução com outros órgãos, em especial, com: o DETRAN, a NOVACAP, o SLU, a CAESB, a PMDF, a PCDF, o CBMDF e até entes privados como a CEB e a NEOENERGIA, pois grande parte das cobranças da comunidade nestas reuniões giram entorno de questões voltadas para a melhoria da mobilidade, iluminação pública, especialmente, as quedas constantes de energia, falta de segurança, construções irregulares e sobre o processo de regularização de condomínios. 

A partir destas reuniões com a comunidade, o primeiro passo da atual Gestão foi fazer um diagnóstico da situação da Região Administrativa, para construir um prognóstico adequado. Partiu-se das informações iniciais, de que os cinco grandes problemas da região, tendo como base os indicadores das diversas ouvidorias do governo, são:

1. Iluminação pública, tanto pela queda de energia constante, quanto pela péssima iluminação da cidade, com várias lâmpadas apagadas;

2. Buracos pela cidade, tanto em locais asfaltados, quanto em locais sem asfalto que necessita de trabalhos de terraplanagem e de águas pluviais;

3. Ocupação irregular do solo em diversos níveis, tanto para moradia, quanto em áreas comerciais;

4. Coleta de lixo, tanto da coleta tradicional, quanto da coleta seletiva, sendo observado também dificuldades quanto a coleta de inservíveis (falta um cronograma bem definido), quanto a colocação e localização de papa lixos e papa entulhos; e

5. Combate a dengue (neste caso, temos focado em roçagem, limpeza de bueiros e das várias bacias de contenção existentes na região, também discutimos o tema com representantes da UBS da cidade);

 

"Diante dos problemas apresentados iniciou-se um Plano de Ação que originou um Plano de Trabalho voltado para duas campanhas iniciais:  Jardim Botânico (JB) – Buraco Zero; e o Jardim Botânico (JB) – mais iluminado", afirmou Aderivaldo Cardoso.

 

Para isso, foram acionadas as Gerências de Manutenção e de Obras que estão fazendo os contatos e articulações necessárias para  resolver e priorizar tais demandas. Até a presente data foram zerados os buracos (que podem voltar e devem ser tapados de imediato) nos seguintes bairros: Jardins Mangueiral, Jardim Botânico III, Altiplano Leste, Área comercial, Avenida Dom Bosco, Avenida do Sol (tendo apenas um buraco causado pela CAESB, que ainda não foi solucionado). 

Também foram realizadas operações de tapa buracos e recapagem nos Bairros: São Gabriel, João Cândido e Itaipú. Também foram realizadas operações de terraplanagem nos bairros: Novabetânia, Barreiros e Itaipú, restando ainda as mesmas ações em diversas áreas do Tororó.

Quanto ao projeto Jardim Botânico (JB) – mais iluminado, o Gerente de Obras, Márcio Macedo Leão, fez um levantamento completo sobre todos os postes da Região Administrativa, com lâmpadas queimadas, em alguns casos, chegando as 06h30min, saindo em alguns momentos até às 23h , para verificar quais estão acendendo ou não e quais estão apagados, fazendo contato direto com funcionários da CEB ou a NEONERGIA, dependendo do caso, os quais vários deles já voltaram a funcionar, podendo citar, por exemplo, os 09 (nove) postes que estavam apagados no Parque Vivencial do JB III, em frente ao Parquinho e quadras poliesportivas; restam ainda serem religados ou lâmpadas trocadas nos postes na faixa de domínio do DER, sentido Papuda, em especial, na entrada do Bairro Jardins Mangueiral, área crítica.

 

"Além disso, dentro de uma visão de segurança orgânica da própria penitenciária também é preciso ver junto aos órgãos competentes a colocação de iluminação entre os Jardins Mangueiral e o Complexo da Papuda, área de segurança importante para nossa região, na qual transitam vários detentos, especialmente, em tempos do famoso saidão", conclui o Administrador. 

 

Mapa do site Dúvidas frequentes